sábado, 18 de setembro de 2010

MAR REVOLTO

Mar revolto


Os olhos têm águas revoltas
inundo em águas revoltas
tudo tem águas revoltas
quando o coração se revolta

Do amor que era paz
barco remando em calmaria
os sinais se anunciam
e horizontes azulados entristecem
para cair sobre o mundo
mil tempestades num só adeus

Agora singra o sangue
no inexistente mar de amor
rumo ao cais que não existe mais
pois a revolta coração inundou.


Rangel Alves da Costa
blograngel-sertao.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário